Tudo se torna possivel !

Minha lista de blogs

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Keep holding on- Continue aguentando firme
Avril Lavigne

Você não está sozinho
Juntos nós permaneceremos
Eu estarei ao seu lado
Você sabe que segurarei sua mão
Quando ficar frio
E parecer o fim
Não há para onde ir, você sabe que eu não cederei
Não, eu não cederei
Continue aguentando firme
Porque você sabe que conseguiremos, nós conseguiremos
Apenas seja forte
Porque você sabe que eu estou aqui por você
Não há nada que você possa dizer,
Nada que você possa fazer
Não há outro jeito quando se trata da verdade
Então continue agüentando firme
Porque você sabe que conseguiremos, nós conseguiremos
Tão longe, eu gostaria que você estivesse aqui
Antes que seja tarde demais, isso tudo poderia desaparecer
Antes que as portas se fechem, isso chegue ao fim
Mas com você ao meu lado, eu lutarei e defenderei
Eu lutarei e defenderei
Escute-me quando digo, quando digo
Que acredito que nada mudará, nada mudará o destino
O que quer que seja, nós resolveremos perfeitamente...





Você!

 Te encontrei ao meio a multidão, atordoado como eu, procurando um motivo para entender a vida, tentando da um sentido ao vazio estacionado dentro de mim.
  Descobri que ali estava você, quem eu sempre quis encontrar, ao menos neste exato instante, jamais imaginei quando te encontraria e quais as qualidades que me encantariam, mas soube naquele momento que era você que eu queria.
  Sei de cor suas musicas preferidas, e suas manias irritantes, conheci seu defeitos e aprendi a ama-los de certa forma, e principalmente amo o seu jeito e suas imensas qualidades que me encantam a cada dia mais e mais.
  Sou feliz por ter encontrado te ao meio a uma multidão, que no extao instante não sabia o que estava acontecendo quando duas pessoas se olharam, mas nós hoje sabemos o que era desde a primeira fração de segundos.
 Agora tenho você aqui ao meu lado, e me sinto tão bem, pois você é aquele que antes de qualquer coisa me da forças, e que constrói sonhos juntos comigo!
Há muito tempo não cresci, o quanto cresci contigo!
 

domingo, 26 de dezembro de 2010

Última carta, não entregue!

 Perdoe minha mãe, não tive tempo de lhe escrever uma carta dizendo tudo que sempre tive imensa vontade de lhe dizer, por mais que sempre lhe disse, adoraria ter deixado lhe uma carta, perdoe me pelo tempo que tudo ocorreu, não tive tempo, de maneira alguma .
Estava tão feliz em sair, pela aquela porta e aproveita minha vida, lembro que você estava me olhando e me disse aproveite e divirta-se, eu eu você sorriamos de uma forma inesperada.
 Lembra que lhe contava meus sonhos, aqueles mais absurdos, e mais fantasiosos, e você compartilhaa comigo todas as vontades.
 Me perdoe, não houve escolhas, apenas aceitei os fatos.
 Era tão maravilhoso a nossas conversas, e brincadeiras, tudo que você me deu, sempre foi com amor incondicional, de mãe.
 Você todos os dias me levava na escola, e me buscava e passávamos juntas o tempo todo, era mais que amigas éramos eternas companheiras.
 Você me fazia o tempo todo a menina mais feliz, apenas por saber que você estava ali comigo minha mãe, sentirei falta de ti, como jamais sentirei de ninguém.
 E não tive tempo, nem mesmo de deixar uma carta dizendo melhor cada coisa que se passa no meu coração. Escrevo lhe aqui o que não tive tempo de dizer pessoalmente a ti, espero que esteja tudo bem em nossa casa, pois eu estou bem, estou no paraíso, e tudo é tão lindo aqui, você adoraria estar aqui, e eu também, sem você nada tem sentido.
 Obrigada por ter me amado, por cada dia que dedicou a mim exclusivamente, obrigada pelos abraços, e carinhos, isso me mostrou que nós amamos além de qualquer coisa, e sempre estaremos juntas, unidas.
 Apenas agradeço por ter me amado de todo coração, o pouco tempo que passamos juntas, foi o suficiente para compreender que não  basta o tempo mas sim a qualidade.
 Desculpe, se decepcionei por algumas atitudes infantis, desculpe pela minha ausência hoje, e por não estar diante de ti, espero que um dia me perdoe por não ter avisado lhe.
 Saiba que agradeço tudo que me ensinou de coração, e com amor incondicional, os momentos que dedicou a mim, apenas lhe agradeço.
  Sei também que neste exato momento seu coração esta tomado por uma dor imensa, me perdoe, não consegui manter o controle da situação, e hoje não estou e jamais estarei novamente ao seu lado.
 Mamãe você jamais poderá me ver crescida, e com uma família, jamais te darei netos, e jamais me verá, nossas semelhanças hoje terminam aqui, e lembranças serão eternas em nossos corações.
 Espero que você mamãe supere, e consiga sorrir novamente um dia, mesmo que o sorriso não seja dos mais felizes, mas sorria.
 Obrigada por todo amor que me deste.
                                                                                                    Te encontro em breve
                                                                                                                 sentirei saudades!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Tome sua dose de felicidade!



É tão ridículo, usar o termo que para se sentir bem precisa-se de um copo de whisky, é patético ouvir como tudo é tão nojento e asqueroso, a ponto de tornar alguém um viciado, não digo o que é certo ou errado, mas creio que se você não sabe diferenciar, meu caro companheiro, está completamente fora de cogitação saber cuidar de si.
Entrar em desordem de equilíbrio e embriagar-se e se tornar o amais estúpido possível, envergonhando-se das atitudes, isso é exatamente se tornar socialmente, bacana então, para quem quer ser motivo de piadinhas ilarias.
Se tornar um viciado, é se tornar fraco, deixar coisas do tipo dominar seu consciente, fazendo se tornar imbecil a todos, e não saber e não ter sentido algum a vida.
 É nojento como algumas pessoas acham isso normal, normal ser dominado por um pó, e se torna o tipo de pessoa nojenta, alguns para manter o vicio ousa fazer coisas jamais previstas por um ser humano.
 Dar um sentido a vida, não é exatamente dar um vicio, se manter longe é o caminho, pois depois que entra apenas dois caminhos lhe espera, morte ou prisão, existe o terceiro que poucos escapam, reabilitação.
 É frustrante imaginar que existem diversas pessoas que dariam tudo para ter uma vida melhor enquanto os que poderiam fazer algo para mudar as coisas, simplesmente estão ai perdendo o foco, e deixando se levar pelas coisas.
Se arrepender depois não será o suficiente para lhe manter em pé, e o pior que possa acreditar, um erro cometido hoje se carrega consequências até o fim.
 Mas caberá a cada um escolher, e respeita a escolha de todos. Mas não pense que opiniões não existiram, cada um tem o seu livre arbítrio de escolhas.

Pode ser!

Ano que vem pode ser que eu não esteja no mesmo lugar que antes me mantinha, pode ser que não viva com as mesmas pessoas debaixo do mesmo teto, e não seja simpática com aqueles que conheço, pode ser que comece a ter atitudes ruins ao ponto de vista de algumas pessoas, pode ser que eu troque os vínculos de amizade, e corte os laços invisíveis de parentesco.
Pode ser que adote um estilo diferente do anterior, que use algumas drogas para exprementar o psicodélico que as possui, pode ser que me torne algo que jamais imaginei, poder que tudo mude completamente.
 Tudo pode acontecer, mas de fato essas mudanças sinceramente não aconteceram, pode ser que eu mude para meu bem, aprenda a um instrumento, frequente aulas de canto, pintura e até leia mais do que antes.
 Exatamente esse tipo de mudança que se espere de uma pessoa em sã consciência, e que tenha amor próprio, e não se deixa influenciar por banalidades.

Jovens emoções

  Quando se é muito jovem, tem certas atitudes coerente a idade, a rebeldia começa de forma estranha para quem a sofre e para aqueles que observam, a juventude precisa de motivos para ser feliz, motivos esses concretos, algo que lhes dariam prazer em possuir.
  Quando se jovem demais, tende a fazer coisas onde consequências não são previstas, e nem esperadas.
   Tudo se torna novo aos olhos do desconhecidos, tudo virá novidade e instiga a querer possuir o prazer de viver algo e se quer pensar ao certo, é definitivamente marcante na devida idade tão juvenil.
  Não medes esforços para conseguir o que quer e nem tempo para ter em mãos, o instigados desejos são contemplados por adoradores dos mesmo rituais e desejos.
  A rebeldia é inevitável, acostumar pessoas dizendo o que se deve fazer é isuportavél e intolerável e massacrante para um jovem que esta no auge das aventuras miraculosas.
  Quando se vê coisas foram feitas, atitudes tomadas, consequencias causas de erros incomparaveis, medos incomprendivéis, manias monótonas, estilo de vida estravagante e fútil, que não leva a lugar algum, opiniões ridículas, enfim diversas sensações passando e modificando seres jovens, que se sentem estranhos em lidar com o desconhecido em sua mente atormentando.
  Época marcada por diversas sensações novas até então, que faz com que tudo que estava plenamente tranquilo se torne uma catástrofe de emoções, vindo a tona e frustrando aqueles que a sentem.



Contemplar


A beleza deve ser contemplada de uma forma única e maravilhosa a todo tempo.
As coisas foram feitas milimetricamente perfeitas, todas exatamente trabalhadas e desenhadas, com maior cuidado possível existente, jamais o homem conseguirá fazer o mesmo, dando forma e movimento a seres surreais e tão reais ao mesmo tempo cronológico.
O que é simples é encantador e possui uma energia de constante plenitude e suavidade.
O sol aparece todas as exatas manhãs iluminando a vida e dando o brilho aonde a escuridão insiste em tomar.


terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Dons


Pode ser que todos nós nascemos com um dom dado por Deus, e que nossa trajetória de vida esteja programada, mas também há quem diga que existem planos que são mudados conforme tomamos nossas decisões.
Todos podemos ter dons, para que possamos contribuir para uma sociedade e um mundo melhor, nada é concreto é tudo muito abstrato.
Existem aqueles que dominam artes de expressar em formas de cores, pinturas, musicas, palavras, enfim existem diversas maneiras para fazer a diferença, e apenas algumas escolha que caberá a cada um que habita na fase da terra.



Seja você

Tenho minhas próprias convicções, meus próprios medos, e minhas próprias exigências.
 Não tenho a prepotência de agradar a todos, e isso me causaria náuseas de extrema forma.
Sei exatamnete quais valores acarretar a um individuo, e não vivo de palpites que não me agregam a nada, simplesmente insultos vazios e sórdidos.
Não considero me normal, pois não sei bem até onde está palavra limita um ser pensante.
Posso ser alvo de criticas, mas se não for por pessoas que fazem diferença, não faço questão de dar lhe mínimo de atenção, pois o que lhe digo simplesmente supere me.
Não condeno ninguém, antes de dar lhe oportunidade de me cativar, se caso não venha conseguir cativar me com seu modo, mantenho a distancia.
Não julgo pelos seus hábitos, apenas pelo seu carater, ainda creio que isso é fundamental.
Não estou aqui para dizer que aceite me, e que entenda alguma palavra, apenas sigo meu caminho, sem ultrapassar os limites do seu.
Desejo lhe sorte e equilíbrio, isso basta!
 Sou aquilo que minha alma me permite ser, não ouso agradar, sendo e tornando algo que eu nãoa dmire, mantenho minha conduta perante qulaquer atitude que venha a me desapontar.
Antes que qualque coisa respeito me.

incerto

 Se caso encontres as respostas, diga me por favor. É completamente atormentador, as duvidas que insistem perturbar meus sonos, onde quer que eu vá elas entram, e me assombram.
 Pensar na vida, é totalmente incerto, hoje tenho exatamente uma opinião, um estilo, um sonho, que podem se torna banais amanhã, de uma forma que eu venha a rir de coisas absurdas, mas que no momentos que as foram reais eram tão normais e tão aceitáveis, possa ter atitudes monstruosas, e nem ao menos me importar.
 As respostas nunca chegam, e sempre quando olho ao meu redor, duvidas iguais as minhas existem em outras mentes pensantes.
 Pensar como serei daqui alguns anos, soa positivo e deixa as conclusões realista de lado, é incerto, tudo exatamente é estranho de se pensar.
 Ao mesmoos tempo que sei o que será bom, penso que coisas boas sou eu que as classifico, como se nada fosse tão ruim assim.
  Pensar como proceder, é como seguir tentando responder todas as questões que me atormentam é um dos processos contínuos mais demorados possíveis existentes que encontrei até então.

 

domingo, 19 de dezembro de 2010

Delicadeza

Deixa as bonecas de quanto e aprender que o mundo lhe espera, assusta qualquer menina, mas a evolução é sútil e inevitável.
Aprender que tudo que foi jamais será, na cabecinha de uma doce menininha é inaceitável, como algum diz deixarei minha bonecas de lado e passarei a ter compromissos de gente grande.
É incapaz de aceitar as mudanças, meninas são tão meninas.
O que lhe aguardava não agradar mais é tão absurdo, e estranho de aceitar, mas meninas são tão doces meninas.
 Algumas sempre levaram consigo aquela doce menina de antes, outra se tornaram amargas com o passar dos dias e jamais aceitaram que a infância enfim um dia termina.
 Jamais ouse crescer, mantenha sempre a inocência de uma criança adoravél dentro de si.

Superavél

Nunca imaginei que ouvia da sua boca, palavra que pudessem me afetar a ponto de mudar completamente meu ser.
Era uma daquelas brigas casuais e rotineiras, que eu estava acostumada como sempre,
então você disse que eu sempre atrapalhei seu planos e sua vida, e que você jamais gostaria de me ter por perto, que nós éramos indiferentes uma com a outra.
 O mais engraçado de tudo que neste instante, minha única reação era de perplexidade de não estar entendendo quais os exatos motivos de tanto desprezo. Não sabia como me comporta ao certo, e me senti a pior pessoa do mundo ali parada, com os olhos cheios de lágrimas, e soluçando, nos meus ombros um peso imenso de culpa de estar atrapalhando a vida de uma pessoa que possuía planos antes que eu viesse a existir, e a magoa de que foi por minha culpa de o casamento deles tinham ido ao fracasso.
A única reação estranha e confusa de uma garota que não sabia o que o mundo reservava tinha era chorar, lembro me que a noite estava tranquila e lá fora a chuva caia.
 Me tranquei no quarto sem saber o que pensar, como alguém que apenas poderia lhe amar, jamais consegui isto.
Seu desprezo sempre foi presente, mas a verdade jamais havia sido dita, até aquela noite.
Me vi sendo obrigada a amadurecer após isso, e crescer, vendo que as coisas nem sempre são como deveriam ser de fato.
 Entender os motivos pelas quais sempre implicávamos foi a chave d um mistério solucionado.
 Então após anos, sem falar com ela volte me e disse lhe apenas umas palavras que não importava nada para ela mas sim para mim.
 ' Jamais serei como você, posso errar, mas me perdoarei primeiramente antes de tudo pelos mesmos, e jamais magoarei alguém a tão profundamente, por um erro que ela não é culpada'.
Depois de dito isso lembro que sai, sem ouvi nenhuma palavra que ela pronunciava, pois para mim bastava ter escutado o que jamais esperei.
 Sinto hoje uma certa pena, em saber que o ódio que ela carrega, a envenena e a destroi aos poucos, assim ela vai se tornando vazia e sozinha.
 Não há julgo mas meu respeito e admiração, ela já não possui, pois afinal amar a si mesmo, é a chave para ser feliz, ou pelo menos um grande parte.
 E se naquela noite durmi entre minhas lágrimas, hoje já não as possuo.
 Apenas durmo tranquila em saber que jamais carregarei culpa alguma.


Happiness - Felicidade
The fray 



Felicidade só existe do lado de fora da minha janela
Quebraria se batesse a 80 milhas por hora?
Ou a felicidade é um pouco mais que bater na sua porta
e você simplesmente deixá-la entrar?
A felicidade se parece muito com sofrimento
deixe estar, você é incapaz de faze-la ir ou vir
Você se foi - não para sempre, mas por agora
Foi por agora, mas sente como se tivesse ido para sempre
A felicidade é um "biscoito de fogo" sentado na ponta da minha cabeça
A felicidade nunca foi minha para eu agarrá-la
Cuidado Criança, ligue a luz e se afaste
Porque a felicidade parece um chuveiro de faiscas
A felicidade o destruirá se você se aproximar demais
Quebra sua fé em pedaços ao assoalho
Então diga à si mesmo, que provavelmente é o suficiente por hora
A felicidade é um rugido feroz
A felicidade é o que o velho homem me contou
Você olha pra ela, mas jamais a encontrará completamente
Mas, deixe estar, viva sua vida e deixe isso
Então algum dia, você levanta e ela vai estar em casa..






Recomeço


Há momentos que se deve ter um plano em mente, para não ser tomado de surpresa.
Começar tudo do zero requer querer algo novo, não apenas sair sem um propósito em mente, deixa tudo que lhe feriu para trás, pessoas, lugares, momentos, enfim jogar tudo fora, deixe para trás cartas de adeus, bilhetes de eu te amo, presentes, deixe tudo que puder, pegue apenas o que é essencial para se construiur algo novo adiante, saia sem nada mais do que o necessário.
E recomece outra vez, quantas vezes for necessário, para se compreender que a vida é feita de escolhas e aqui estará você fazendo uma delas, libertando-se dos enigmas das profundezas e sombrias desilusões.
Há diversas maneiras para sentir-se vivo outra vez.

Escolha um caminho!


 Embora me digam que fazer escolhas não é fácil, tem suas meras vantagens.
Nem sempre o caminho que tu escolher, será o de resultado imediato com êxito, pode ser o mais longo e doloroso, terá espinhos e caberá a você manter o equilíbrio, mente e corpo tornando-se indestrutivél ou apenas intocável.
 Cometemos erros imperdoavéis, e que erraremos muito até alcançar o ponto clímax, mas também o caminho que é escolhido hoje, refletirá no amanhã, pode ser que tudo seja cliché, mas permita-se  ser, pois assim crescera de uma forma absolutamente, sem experiências não se pode dizer que se evoluiu.
 Experiências  torna nos mais forte, mesmo aparentemente frágil, nos torna flexíveis mesmo que por dentro não tanto.
 O caminho está ao seu alcance, o caminho que encontraste no verão passado, não será o mesmo, deixando assim pessoas e lugares para trás, para continuar seguindo o próprio.
 O caminho é uma escolha somente sua, de continuar o percurso que se encontra ou mudar a traje.
 Mesmo que um dia seus pés estejam cansados,apenas sente-se por alguns segundos, apenas o suficiente para lhe manter em pé por mais tempo que imagina.

Inesperado!

Nunca imaginei de forma alguma, que já se fazem seis anos que você partiu.
É inacreditável  a dor que sinto ao me recordar, de como seu sorriso me encantava, hipnotizando e seduzindo da forma mais sutil possível, fluía naturalmente, o brilho dos seus olhos me encorajavam a querer seguir sonhando da forma mais surreal existente, e sua voz era suave e doce chamava-me a atenção, principalmente quando você tocava com aquele seu velho violão, fazendo com que todos a sua volta, parasse imetiadamente virando se a sua direção, e vendo como era perfeita harmonia, voz e violão.
Todas as noites, encontrávamos um estranho ali, tocando naquele bar rústico, com aspecto a cais do porto, cheirando a mar. Reuníamos ali para descontrairmos, eu te olhava as vezes, querendo descobrir quem por de trás era você ao certo. E era um verdadeiro mistério adivinhar que tu eras, no meio daquelas pessoas cantando, mais do que isso encantando todos que ali entravam.
Fomos nos tornando íntimos de longe apenas, você olhava para mim, e eu de certo modo disfarçava, e retornava os olhares logo de imediato, sem que ao menos percebesse.
Nossos encontros eram sempre no mesmo lugar, anoite com as mesmas pessoas ao meu redor, e você ali sentado com violão cantando.
Quando me via entrar sorria, um sorriso largo e maravilhoso, que iluminava atingia a extrema plenitude, então depois de um minuto eu sorria de voltar, tentando acreditar que era pra mim, e passávamos a noite nos olhando, mas ninguém jamais percebeu, que nossos olhos estavam se apaixonando.
Lembro que fiquei algumas semanas sem ir com meus amigos ao rotineiro encontro no bar, pelo fato de estar atarefada, permaneci em casa, sem animo para sair com amigos.
 Mas quando minhas semana tranquilizou-se lá estávamos nós novamente, e você me olhou fixamente, a ponto de perceberem algo de errado, você então deixou violão de lado, e desceu, minhas mãos ficaram frias como no nosso inverno, meu corpo permaneceu intacto, frio, paralisado e absurdamente não entendi o que estava fazendo, então percebi que o caminho que você tomou era da minha direção exata, neste momento não lhe olhei mais, simplesmente desviei os olhares e fingir estar tranquila e prestando atenção nas conversas dos meus amigos. Tarde demais ali estava você ao meu lado, sorriu a todos e comprimentou os, eu sem saber que eles haviam se tornado colegas, tive uma reação estranha e incerta.
 Na minha cabeça milhares de perguntas e nenhuma resposta, até então ele perguntar meu nome e dizer você eu ainda não conhecia certo!
 Eu por minha vez balancei a cabeça tímida, e confusa do que estava acontecendo, e lembro que alguém lhe perguntou se não tocaria naquela noite, ele olhou para mim, hoje creio que não, era seu dia de folga e ele disse que adoraria dançar. Por fim todos foram dançar e sobramos nos dois, nenhuma palavra foi dita, até que então ele virou levantou-se, de imediato imaginei que estaria ali sozinha até meus amigos decidirem ir embora, e eu estaria com vergonha pois nenhuma palavra com aquele estranho, que nem o seu nome não sabia.
 Abaixei minha cabeça como de costume, e assim com uma atitude inesperadas, ele estendeu sua mão em direção a minha, meus olhos neste momento, refletiam a reação confusa, e assim fomos, eu por minha vez alertei que não era boa naquilo, ele sorriu e disse nada que você não se adapte. Lembro que conversamos pouco, prestamos mais atenção na musica e sua melodia.
 Ao voltar para casa minha cabeça estava absolutamente estranha, e não sabia definitivamente nada sobre o que havia acontecido naquela noite.
 Nos encontramos mais vezes após este dia, e sempre dançávamos juntos, riamos de como éramos desengonçados.
Fomos nos tornando amigos, e depois de um tempo, de forma única nos apaixonamos, e demos inicio algo único e maravilhoso juntos.
Assim foi nossos quatro anos juntos, felizes ao extremo, sempre conversando nos entendendo de uma forma encantadora, e completamente apaixonada, fazíamos planos para um futuro juntos, e estávamos definitivamente nos amando da forma mais plena e forte possível.
Então um dia comum, tomamos nosso café, e eu senti uma imensa vontade de dizer porque estava contigo, disse lhe de inicio porque foi você que me fez a pessoa mais feliz deste mundo, aquela que sabe que tem alguém tempo todo cuidando de mim, e me amando pela forma que sou, pela forma mais simples, que me aceitou pelos meus defeitos e me ama pelas qualidade, e é com você que quero passar o resto da minha vida, os ao menos enquanto viver, serei feliz contigo, não sabia ao certo porque daquelas palavras, mas ele disse que me amava mais do que eu imaginava e mais do que ele poderia dizer.
 Então saímos os dois, ele estava de viagem marcada, iria pegar o avião para uma reunião, já que ele havia entrado para jornal local, e cuidava perfeitamente da área musical da coluna jornalistica.
Mas nenhum de nós dois imaginávamos que aquela manhã era a ultima de nós. Já nos hospital me disseram que um carro bateu no táxi onde você estava, a principio a sensação de fracasso e de não saber o que fazer é constante, meus dias se tornaram monótonos e vazios, era como se a todos momentos eu estivesse esperando sua chegada, como se a porta fosse abrir a qualquer instante e você ali estaria sorrindo para mim, como sempre fazia.
Mas completamente não, eu sabia que não, em algum lugar eu sabia que você estava morto, e jamais veria aquele que seria o pai do meu filho, não tive coragem de lhe dizer logo no café da manhã, por medo de não saber o que acharia e qual sua real reação, e então percebi que estava sozinha, não apenas eu estava mais nosso filho também. Desespero me amedrontou de um forma que jamais entenderia, mas havia alguém que necessitava de mim, mas que eu mesma, era nosso filho.
 Enfim, já se passaram seis anos desde então, mas a sensação de que verei você entrar pela porta jamais se apagou, mas entendi que algumas coisas somos incapazes de evitar, e isso por anos me torturou, ao menos se estivessemos juntos, mas aceitei a condição de não vê-lo mais e me ocupei ao máximo cuidando e amando até então nosso filho, que hoje está tão lindo, possui mesmo habito de sorrir para mim quando menos espero, ele me lembre constantemente você e seus atos. Isso me conforta de certa maneira.
 Não sei se de alguma maneira você pode nos ver de onde esta, mas adoraria ter a certeza de que esta feliz, e saiba que você estará presente sempre nos atos de uma pequena criaturinha, que não teve a chance de conhece-lo.

sábado, 11 de dezembro de 2010

mudaram-se as coisas.

Sabe... 
 Sinceramente a sociedade as vezes impõe padrões de futilidade, onde existem milhares de seguidores do mesma alienação, patetico ver como as pessoas se tornam manipulavéis, como deixam sua personalidade ser comprada por uma mera bolsa prada ou algo parecido com grife, é patetico ver que pessoas que se satisfazem no quezito ter o carro do ano, e dizer exato quanto milhões de dólares foi gasto na milhonezima reforma de sua casa em sei lá que cidade de sei lá qual país. Pessoas comem salada para terem o corpo, identico daquela moça da tv, e assim gasta altas quantias e até faz coisas absurdas que as vezes é negligente, para estarem na moda, e com corpo perfeito, gastam o que tem eo que jamais vão ter.
 Sabe as coisas não são como eram, valores se tornaram objetos de reliquia, hoje o que esta na dita moda, é ser melhor que o outro no ter, ja no ser, quem é que quer saber mesmo, ah basta você dizer quanto possui no banco, assim seus laço amigavéis aumentaram.
 É tão simples, para que usar da conversa para conquistar se você pode comprar, é tão simples e tão imbecíl.
 Sabe,  sinceramente digo, não importa qual sobrenome você carrega, se você usa sei lá que roupa, se você tem carro ou anda de bicicleta, não importa com que você tem ou que você não tem, mais o que adianta isso é clichê demais para ser levado a sério.
 Laços invisiveis de amizade, eram construídos por afinidades e por valores adotados em comum, atualmente o quezito status defini quem serão seus companheiros, ja que nesse meio questão financeira prevalece.
 E cara autenticidade, e personalidade virou valores de pessoas menos favorecidas, assim ditada pela sociedade.

Memórias II

Continuação :

Diverso fins de semana menti, dizendo que iria para casa de meus amigos, fazer trabalhos escolares, apenas para não ter que ver sua cara, ela foi atenciosa e boa mãe até meus dez anos, depois disso se tornou um mostro que apenas me afastava de si.
 Meu pai como mais velho sempre me dizia que minha mãe me amava mais havia se tornado fútil e irresponsável, mas mesmo assim ela me amava.
 Sempre achei seu comentários sórdidos e insuportáveis, tentando torna-la menos ruim do que ela havia se tornado.
 Nesta época estava com dezessete anos iria completar dezoito menos de um mês, então minha carta de alistamento havia chegado, não pensei duas vezes, preenchi e depois de dois meses meu nome estava na lista de soldados alistados para aquele ano.
 Já com dezoito anos, aproveitei minhas ultimas ferias livre do exército, sai em diversos bares, as vezes passava da conta e chegava bêbado, no outro dia passava muito mal, nada que remédios não curasse, sai com diversas mulheres, descobri depois de um tempo que algumas delas eram casada, e algumas tinham filhas da minha idade, não me importava mais com absolutamente nada.
 Assim foram meus quatro anos de alistamento, cheio de indisciplina por minha parte, mulheres, bares e noitadas sem fim com meus caros colegas de quarto.
 No exército não era nada fácil, acordava cedo e dormia tarde, estudava estratégias e cálculos, aquilo me enchia a paciência.
 Quando dispensado sai e ia visitar meu pai e minha mãe me procurava, uma vez me pediu um dinheiro, apenas depois descobri que ela devia um certa quantia pelas suas drogas, ela também estava aspecto magro, olheiras e cheiro ruim, e claro olho roxo, então meu pai disse que ela estava com mesmo cara que ela havia mandado embora, e ela o sustentava e ele deveria ser bom em algum aspecto para ela, já que eu nunca entendi porque ela teria escolhido ele, e não outro qualquer, constatei a teoria que ela havia se apaixonado pelos socos que elas levava, ou sei lá o motivo, apenas sei que nunca voltei naquela  casa, e a evitava com todas minhas forças.
 Meu pai tinha mudado também, havia emagrecido, e comia pouco, era calado e frio, não me perguntava quase nada sobre minha vida e nem eu fazia questão de lhe dizer algo, apenas dizia que lá eu estava feliz, e ele sorria vergonhosamente, e eu sabia que ele sentia culpa de eu ter visto minha mãe daquele jeito e de ter presenciado brigas e coisas que uma criança não precisava ver, pelo menos não em casa.
 Ele por sorte conseguiu esconder os defeitos delas, desde sempre, só então depois de anos eles não conseguiram mais esconder quem verdadeiramente era ela.
 Ela nunca apareceu na minha escola, sempre meu pai ia em seu lugar, ela sempre dizia que o trabalho a sufocava e tomava todo seu tempo, mas era preciso, mas nunca trabalhou fora, ela saia e ia aproveitar a vida de promiscuidade, meu pai nunca largou dela, pois ela apenas bebia até então, e ele amava-a profundamente de uma forma surreal, e ela cuidava dele, enfim apenas tinha um vicio, mas com passar do tempo ele foi contrariando ela, e ela vio que ele não poderia mandar nela, enfim assim começaram as brigas e o resto já foi muito bem colocado aqui.
  Acho que ele com o tempo sentiu o mesmo que eu sinto agora, revolta, raiva, mágoa, tristeza, pena e concerteza nojo, muito nojo.
 Sempre venho nas minha ferias vê-lo, ele sempre me liga e me manda cartas, já minha mãe sempre me procura para pedir dinheiro, ela sempre esta com dívidas, não tem como não ajuda-la, apesar de tudo de ruim ela cuidou de mim, melhor tentou cuidar.
 Mais apenas destruiu minha visão de família feliz, que eu carregava até certo tempo, hoje minha conduta foi escolher jamais vê-la, ela sempre procurava me humilhar e não se importava comigo, apenas com meu dinheiro, sempre me viu como atraso em sua vida.
 Sabe sei que é difícil toda vez que lembro daquela época, ela me mostrou que nem sempre quem coloca no mundo ama, sempre se vio obrigada a cuidar de mim, nenhum carinho, nenhum elogio sempre o contrário, humilhações, e brigas, mesmo quando não brigavam, me tratava como sem valor.
 Depois da segunda vez que a dei dinheiro, nunca mais a vi, trouxe então meu pai para morar comigo ele sim sempre se preocupo comigo, com meu futuro, e com as noites que ele me colocava cedo na cama, era para que eu não visse o que um dia eu vi, minha mãe machucada, nojenta, drogada e as vezes trazida em casa por carros desconhecidos.
 Meu pai o tempo todo aguento a visão de falsa família feliz, calado para que não me trouxesse revolta ou coisa do tipo.
 A ele sim agradeço, já a minha mãe sinceramente não sinto menor falta, não que eu esteja sendo frio, ou coisa do tipo, é que apenas ela fez uma escolha e hoje resolvi fazer a minha, fazem mais de dez ano que tudo aconteceu, nunca mais a vi, certa vez meu pai disse que ela trabalhava num velho cabaré, não é de se duvidar que ela chegasse a esse ponto, só não entendo porque ela quis ter uma vida que não era aquilo sempre sonhou, não precisava ter iludido meu pai, que apenas amou muito, deveria apenas ter me entregado a ele que eu já teria lhe agradecido muito.
 Enfim aprendi muito com as atitudes dela também não nego, me tornaram forte e determinado, se as pessoas tem orgulho e me admiram, saibam que para ter me tornado forte e respeitoso tive algumas lições que a vida me ofereceu, sem que eu pudesse ter direito a escolha.

Memórias I

Acorda, e encontra sua vida de certo modo, de cabeça para baixo, não é a forma mais reconfortante para se amadurecer, mais é o modo como as coisas fluíram, e fizeram com que o desenvolvimento das coisas tomassem rumos complexos.


Nada como começar, era outono de 1977, tinha apenas 1o anos, e vivia pacificamente com meus pais,aparentemente dizendo, até então jamais havia imaginado que a vida deles a dois era uma droga, e que eles disfarçavam suas brigas visando me poupar do constrangimento de pega-los ofendendo um ao outro, indo contra a todos e qualquer juramento de amor, que haviam feito um dia.
 Então, as brigas se tornaram constante e diárias, desde do amanhecer, disfarçavam pelo fato de eu estar ali presente, ouvindo tudo e prestando grande atenção ao meu redor, o café da manhã era silencioso, e com um certo ar de frieza em suas poucas palavras pela manhã.
 Minha mãe me levava a escola, e ia para seu humilde trabalho, meu pai por sua vez ia para oficina no fundo de nossa velha e asquerosa casa, havia diversas baratas no porão e o ranger do chão era irritante.
 Okay!  Toda tarde chegava de minhas entediantes aulas, e nada, se quer uma palavra, os dois se olhavam como se não se suportavam mais, era estranho a sensação de vê-los ali na minha frente e ao mesmo tempo intocáveis e intoleráveis.
 Meu pai começou a passar mais tempo na oficina do que dentro de nossa casa, atarde permanecia sozinho, ou as vezes ia brincar na rua com alguns garotos que moravam duas ou até três quadras daqui, sinceramente com as situações estranhas ocorrendo nem me importava quais eram meus amigos mais.
 Minha mãe começou a permanecer até mais tarde no seu trabalho, e pegava meu pai reclamando, não sabia ao certo, mas sabia que as coisas andavam de mal a pior, queria poder entender os motivo ao certo de tudo estar mudando.
 Minha mãe aparecia cambaleando e depois de um tempo percebi, ela chegava bêbada, e cheirando a cigarro e as vezes meu pai dizia outros nomes, dai com passar do tempo descobri entre uma briga e outro que ela era viciada em drogas, cocaína uma delas, ela negava, mais suas atitudes era coerentes de uma viciada e delinguente adolescente, agindo como uma irresponsavél e estúpida.
 Meu pai por sua vez sentia nojo, e não queria mais que eu vise-a sempre, ou me colocava para dormir antes que ela chegasse, já que seus horários eram absurdamente tardios.
 Mas como ele jamais soube sempre ficava acordado esperando que as luzes de casa se apagassem e que o silêncio reinasce, pelo menos um minuto de pelnutide e paz, e claro sempre ouvia as brigas e os insultos, e as palavras horrendas que meu pai dirigia a ela.
 Toda manhã mesma coisa, o silêncio e a mentira de tudo estava bem, eu me lembro de ter perguntado a eles algumas vezes está tudo bem, os dois de forma sincronizada e falsa me diziam esta tudo ótimo meu querido, melhor impossível. Sempre tentei acreditar que as brigas eram coisas de casais normais com vidas intediantes normalmente dizendo, mais concerteza não era, de certo todos já percebiam que algo entre eles estavam errado.
 Minha mãe como sempre bebia e se drogava, era ridículo, fui crescendo e as brigas e as ofensas já não eram mais disfarçadas, diversas vezes entrei nas brigas para separa-los, e algumas dessa eu saia machucado, ferido, não apenas fisicamente como emocionalmente.
 Os dois já não se suportavam, e como eu estava na idade suficiente para seguir futuramente minha vida, eles resolveram acaba com o tormento separando-se.
 Achei que minha vida seria melhor, ao contrário perante ao juiz passaria todos meus fins de semana com minha mãe, pois meu pai disse que eu moraria com ele, e ele me sustentaria, então assim foi feito.
 Todos fins de semana, minha mãe chegava bêbada, fedendo a todas aquelas porcarias, e eu tinha que cuidar dela, muitas vezes ela chegou machucada, as vezes motivo de briga na rua outros apenas na hora de vir embora caia no chão, por não aguentar seu próprio peso.
 E além disso tinha aqueles homens que ela trazia para casa, todos imundos, e com aspecto sombrio e nojento, me dava raiva de vê-los ali, com aquele ar de arrogância para meu lado, alguns desses achavam que poderiam mandar em mim, um deles uma vez me deu tapa na cabeça, aquilo me irritou, e o xinguei, então ele veio para cima de mim, minha mãe já esgotada dele, mandou-o embora, não por minha causa claro, simplismente por ela estar apenas enjoada mesmo do seu cheiro horrível.
 Comecei a ter sensações de nojo da minha própria mãe, suas atitudes me envergonhavam e eu sentia como se ela fosse exatamente o que eu não gostaria de ter próximo a mim.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Algumas coisas o tempo apenas fortalece!

 As vezes mentir requer habilidades, pois caso contrario sua mentira se torna uma farsa, onde nem você mesmo acredita.
 Mentir foi dificil o tempo todo, mas me deixar ser fragil e orgulho de lado era repgnante a hipotese, levada pelo orgulho ela não quiz dizer nenhum momento o que se passava dentro de si, não a culpo, mas não idolatro, atitude que não condiz  com o real.
 Mentiu tempo todo, mas como sempre foi fragil em suas mentiras manteve sua posição de fraqueza, e o que era apenas para ser medo se tornava tolice.
 Ela achava algumas atitudes dele incorretas, mas jamais a ponto de não quere-lo, ele desde o princípio foi aquele que dispertou um sentimento distinto dentro dela, fazendo com que ela construise um sonho, mas com passar dos dias elas desistiu de certo modo de te-lo a sua volta, mas com passar do tempo e com o modo que conheceu outras pessoas, viu exatamente que era ele que ela gostava e que queria ficar.
 As vezes existem algumas coisas que não se vão para sempre, e as chamamos de nossas.
 Ela não sabe se foi destino ou forças maiores, apenas sabe que ela e ele entram e constante harmonia, um sentimento que os dois desconhecem mas acreditam ter.

Sinta

Solte seu cabelo, deixe o cair sobre ombro, sinta a energia que o vento trás, balançar da rede na varanda, sinta o frescor da manhã e a brisa bater na pele arrepiando-se, escute com atenção as ondas do mar, e o cantarolar das gaivotas.
 Sente-se na praia e fique ali o tempo que for, se possivél olhe para nuvens e veja a maravilha das formas, cores entrando em constante sintonia, iluminando asim o dia. Deixando a vida cheia de alegria, pelo simples modo de sentir as coisas, e de valoriza-las, assim é viver e querer crescer, deixando para trás as energias negativas. Entrando no mar e afogando as tristezas, assim é viver em perfeita harmonia consigo mesmo!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Ler !

Ler, Prazer em folhear páginas onde se pode encontra o verdadeiro portal para o caminho de uma dimensão riquíssima, cheia de aventura e de mágia concentrada em  linhas, descrevendo-se em suas palavras e seduzindo nos com seu cheiro impresso entre folha de papel, sua textura velha e macia. Livros que lhe dão vida, esperança e imaginação onde jamais imaginaria encontra-las, alimentando todas aventuras e magia e movem nos todos os dias, de nossa vida.
 Ler prazer em mergulhar num profundo mar de contos, onde dali sairá apenas encharcado de magia e fantasia, que lhe dará liberdade para afogar-se em total ato de eloquência.

mudanças

Hoje acordei completando mais um ano de vida, e tendo a leve sensação de que nada mudou até então, na noite passada meu casaco estava ali no chão e hoje pela manhã permanecia ali intacto, acordei com a imagem de que estou envelhecendo e o medo de estar constantemente parada, tendo atitudes fúteis de uma garota mimada prepotente. Sem contar-lhe que minha cabeça existe centenas até mesmo milhares de dúvidas, decorrentes de qual caminho seguir, já que estou terminando meu colegial, todos meus amigos possuem alguns planos e incertezas, e eu sou mais uma nesse processo de mudança.
 Não quero ter simplesmente a escolha de estar fazendo o que me é cabivél, quero ir além do que me é possível, não quero uma vida inventada e pré montada, o exato conto de fadas, prefiro deixar pra trás. No meu velho e acalentado diário leio coisas que minha inocente adolescência ofuscava, e só hoje percebo erros cometidos, esses que agora me dão medo, pois quero tomar o caminho certo, e saber que não há tempo para bobagens. Escolhas que eu fizer hoje, exatamente neste instante, faram diferença amanhã quando acordar, e concerteza se eu cometer um delírio agora a consequência virá junto ao amanhecer.
  Dentro de mim mil perguntas, algumas respostas e diversas incertezas, quais atitudes teriam sucesso exato.
  Isso verdadeiramente me assusta de uma forma obscura e sombria, é como fazer parte de um filme de suspense onde você deve achar as saídas corretas dos seus medos.
 O processo demora um certo tempo, mas a rotina fará com que me acostume com a sensação de extremo desconforto. E caberá a mim realmente escolher o que é certo para meu futuro, tentando não cometer erros gravíssimos, para que não venha me arrepender, o hoje é o passo certeiro para o amanhã de plenitude.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Falta de tudo isso!

 Adoraria ter a certeza de que tudo estaria no exato lugar hoje, mas não está, já digo que tudo que foi jamais será novamente, cada vez que passo entre o campo lembro me de como as coisas tornaram importantes e hoje vejo que não faça tanto sentido, revirar minha memória tentando me lembra de cada segundo que passamos ali juntos.
 Você sempre ao meu lado, jamais me deixava sozinha, me sentia forte com sua presença ali, apenas me olhando sem me entender em nada em minhas atitudes, mas ali comigo, desde muito cedo mostrando me fidelidade e protegendo me de tudo que viesse a me machucar ou a me tomar de ti.
 Sempre sentávamos no meu das flores da cor do sol, e sentíamos o cheiro delas em nossas estruturas, era um cheiro enjoativo e impregnava nas narinas, as vezes você espirrava, percebi então que era alergia aquele cheiro bom, e ao mesmo tempo insuportável.
  Adorava a cor dos seus olhos, e como entrava em sintonia com as flores do campo, assim foram bons anos  juntos, mas como toda menina quando cresce aprende a a valorizar coisas, que de certo modo não a torna melhor de forma alguma, nem ao mesmo contribui com algo de especial em sua vida, aprendi a valorizar o ter do o ser, e assim minha fase começou a tornar-se realidade, deixei tudo de lado, algumas coisas ainda jogadas no armário, e outras socadas nas gavetas, em grande desordem ali mofando.
  esqueci completamente de tudo que tínhamos costume de fazer, e fui seguindo cada vez mais longe do que um dia eu havia sido e mais perto do que me tornaria em um futuro não tão longe assim.
 Então quando tu adoeceste e vieste a perder as forças, me lembrei de como fomos tão unidos um dia e como sorria apenas de você correr em minha direção e me derrubar naquele campo florido.
 Não arrependo de não ter você aqui, pois algumas coisas acontecem e aconteceram, ciclo da vida, mas lamento profundamente não estar ao seu lado quando fechaste os olhos para o mundo. Mas sempre me lembrarei dos momentos de alegria junto e e você, a menina e seu cão fiel, sempre rindo e nos divertindo com o que existia de mais simples e fútil.
 Mas saiba que o campo está lá, e minhas memórias também, lá tudo se torna intenso novamente!

Na direção do vento!

  Balões cheio de gazes,com a força do vento seguem em frente,voando para onde o vento os levarem, balões coloridos que enfeitam a cidade obscura e fria, no clima de inverno. Com suas cores encanta a todos e tras cores aonde apenas encontrava-se cores sombrias, neutras e apagadas. Assim podemoscomparar com pessoas que  teem medo de serem elas mesmas,e vivem na escuridão de alguma magoa de um erro, não se libertando da sensação de estarem amarrados ao tempo que já se foi.
  Mas existem pessoas que não precisam de muito, assim como os balões que só precisam de gazes, elas apenas precisam acordar, pois valorizam o coração que teem, e a vida que possuiem.
  Como balões, não se preocupem em ter uma forma exatamente coerente e nem mesmo em ter uma direção a segui, jogados ao vento tomam a direção que o vento as cordenam, assim muitas pessoas como os mesmos, deixam que a vida se encarregue de levar ao caminho certo, e deixando de se preocupar com inutilidades que apenas servem para prenderem a vontade de saírem  e de não voltar, para o mesmo lugar.
  A diferença entre uma pessoas e balões, é que balões são objetos manipuláveis na mãoo de qualquer um sem escolhas, e pessoas terem o livre arbítrio de fazer suas escolhas, escolhas tomadas, ou direção do vento a ser seguida, ou ainda apenas que querem se soltar do que as prendem no passado e deixar o vento direcionar a vida, mostrando que o que está direcionado para cada um, nunca se irá para sempre, apenas se mantém por tempo indeterminado imperceptívelmente aos olhos, mas não ao coração.
 Podemos enganar a todos com nossas escolhas, mas não conseguiremos suportar o fracasso de ter feito escolhas erradas, uma hora ou outra a verdade aparece, mesmo entre mentira, mesmo que tentemos mentir para nós mesmos jamais conseguiremos suportar.

domingo, 14 de novembro de 2010

Na ponta dos pés.

Quando entro na velha e imensa sala de espelhos onde cresci dançando na ponta dos pés, lembro-me de como eu era pequenina e frágil aparentemente desengonçada, deveria ter meus cinco anos, quando fui apresentada a minhas futura e até então desconhecidas companheiras.
 Ali estava minha mãe olhando como os seus olhos azuis que me olhavam, quando algo de bom fazia-lhe, seus olhos iluminavam aquela sala com aspecto desleixado, olhos azuis como o céu brilhavam intensamente na minha direção, seu sorriso mostrava-me que eu estava dando lhe imensa alegria, pelo simples fato de estar ali com suas velhas conhecidas. De laços de fita de cetim rosa, combinando com a textura e com a tonalidade de minha pele apagada e sem vida, com meus olhos azuis como o de mamãe, e com meus cabelos em um imenso coque dourado, entravamos em perfeita sintonia. De imediato era desagradável como meus dedinhos se mantinham apertadinhos ali na frente, mas mamãe dizia que eu iria me acostumar, que eu estava linda parecia uma de minhas bonecas de estante.
 Todos diziam que eu era pequenina e frágil, meu corpo era fino e miudinho, parecia uma menina que a qualquer momento se desmancharia como pirâmide de carta, que com um sopro se despedaça.
 Assim foram belíssimos anos, sempre ali fui crescendo e gostando cada vez mais do que um dia era desagradável aos meus pés, minha aparência não mudou muito, mas minha percepção de vida mudou completamente, aos quinze anos comecei a construir sonhos e a almejar fazer parte da escola de ballet, a melhor do mundo já vista entre os povos, e faria de tudo para conseguir. Pois quando via os olhos de minha mãe em todos os meus ensaios e apresentações, sorrindo e torcendo por mim, era como se ela compartilha-se de um sonho em comum, uma verdadeira paixão.
 Após um teste para entrar na companhia de dança, e descobrir que eu havia sido aprovada, fiquei exatamente sem saber se eu já poderia gritar ou deveria manter me em silêncio pois ainda minha caminhada não havia terminado.
 Minha mãe ficou contente por eu ter conseguido algo tão cedo, de estar seguindo o caminho certo e me manter na trajetória exata. Então lhe disse obrigada pelas primeiras sapatilhas desconfortáveis, mas magnificas, ela apenas me disse você esta realizando o que eu não consegui cumprir, pois ninguém me  incentivava a ser uma linda bailarina, e as coisas não eram fáceis na minha época, onde havia uma única escolha ,desistir.
Então após ela me dizer entendi, o que se passava dentro do seu coração e daqueles olhos azuis, quando eu dançava, e saberia que ela sempre estaria ali comigo.
Descobri que cada vez que eu caia era pra me mostrar, que as coisas não são fáceis, que uma bailarina deve estar em perfeito equilíbrio para não cair, e assim é na vida, equilíbrio mantém firme aqueles que na ponta dos pés caminham, que meus dedinhos apertados sofreram mas que não desistiram, aprendi que o aspecto frágil e apagado, pode surpreender na questão talento e força.
 Enfim, manter-se nas pontas dos pés, requer mais que força de vontade, e sim sonhos que nos dão força e equilíbrio constante.

Doce melodia

Engraçado, andando pelas ruas,e sinto de leve algo entrar em contato com minha pele, uma doce brisa batendo e balançando alguns frios de cabelo sobre meu ombro, iluminando meus fios dourados, refletindo a luz do sol e o calor da primavera, fecho os olhos por alguns segundos para eternizar essa magnifica sensação de estar ouvindo doces melodias, cantada pela manhã, pelo vento embalando meus passos, dai percebo que não apenas o vento mais como tudo que esta minha volta soa doces melodias, produzindo sons suaves, formando notas musicais para meus ouvidos.
 Assim,no movimento rotineiro, passo por passo, mantendo minha atenção na sonoridade com que o vento balança os galhos, e como tudo pela manhã fica belíssimo com o cantar dos pássaros. Em mim algo refleti a luz solar de fora, fazendo com que meus olhos vejam, o que exatamente é simples e belo, deixando em mim algumas perguntas, e assim fazendo com que eu tente reponde-las.
 Chegando ao meu velho estúdio, sento me ao meu velho piano empoeirado e tento compor melodias baseada na vida real. Melodias onde eu possa me encontrar, onde minha alma sinta-se em paz, em plena sintonia, deixando com que eu venha me esquecer do dia lá fora e do cantar dos pássaros que profundamente me encanta, e passar a viver aquele momento com plenitude, extrema sensação de missão cumprida, e assim os dias vão se passando e me sentindo cada vez mais feliz, por um simples motivo de ter notas musicais como minha vida, minha doce profissão, vida essa que dedico todo meu tempo e que construo sonhos.
Tudo se torna musica aos meus ouvidos!

K.G

sábado, 6 de novembro de 2010

Aprendi !

  Posso estar completamente enganada a ponto de estar formulando pensamentos fora do real, criações produzidas pelas minha mente, não sei até que ponto tudo não passa de loucura e verdade, apenas consigo ter novas vontades crescendo dentro de mim.
  Definitivamente depois de muitas vezes me enganar, e confiar no que não era confiável, e assim aprendendo que as coisas são como devem ser, e tendo eu querendo ou não aceita-las.
  Acreditei que todos os laços criados seriam para sempre, mas minhas inocentes, e infantis imagens se tornaram com o tempo vagas, aprendi a dizer adeus muito cedo, mas não o suficiente para aprender que isto é normal.
  Aprendi que cair, foi um dos primeiros passos que tentei dar,para estar aqui de pé na sua frente, mostrando me firme.
  Descobri que adoraria ter alguém ao meu lado, mas que esse alguém pode demorar, a ponto de que quando aparecer eu não acredite que exista este alguém.
  Creio que para chegar no lugar que almejo, vai demorar e que vou querer desistir, mas algo mais forte não me deixará cair.
  Aprendi muitas coisas, e ainda estou aprendendo, doar é  não receber nada em troca, que amar é se doar, e receber o mínimo, que um abraço é o refúgio dos amantes e que sorrir é mostrar como branco do seus dentes refletem o brilho da sua alma.
  Aprendi que só preciso do simples para ser feliz, que amar e sorrir é essencial para se viver em harmonia, sei também que posso ser tola de lhe dizer tudo isso, mas o que importa para mim, não é o mesmo para você. 
  E aprenda você, que dizer que sou como outras pessoas, é um dos maiores erros que estará cometendo, pois o que guardo dentro de mim é exclusivamente meu, meus olhos não revelam e minha alma permanece intacta, e que dentro de mim meus sonhos se mantém guardados e confiantes que se tornaram realidades.
K.G 
 
 

 

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Luz que vem de dentro.

Daqui de cima, olho para baixo, olho exatamente as  luzes que  refletem nos olhos de cada um, luzes que perfuram os corpos mostrando me o que esta ali escondido, ou apenas não desvendado. Daqui de cima dos prédios, pronta para saltar, e bater minhas assas deixando meu rastro de luz, mostrando imensamente a força que existe em mim, e mostrando do que sou capaz.
 Se olhares o céu , um fecho de luz passar por ti, não se assuste, definitivamente sai do casulo que me prendia a um mundo apagado de desilusões, e hoje dentro de mim explosões de cores. Daqui posso ver exatamente os medos que lhe tomam a mente, e vejo apenas uma saída, explodindo meu raio de luz,consigo encontrar me em paz comigo mesma, solte-se e olhe para dentro de si, e verás também uma imensa luz, luz que está sempre ali escondida, esperando a hora certa para explodir para o mundo inteiro, mostrando sua força. Deixe suas assas baterem como as minhas e venha explorar o céu, e se tiveres medo lhe dou minha mão, e seguiremos juntos nessa viagem.
 depois que você aprende a ver o mundo de cima, jamais ira querer descer, a brisa batendo e as luzes do seu coração iluminando a escuridão ali fora, todos veram e te seguiram, deixando rastos de luzes no ar.
 Jamais deixarei você cair, tenha certeza, estou aqui para lhe tirar dessa neblina e lhe mostrar o que existe acima dos prédios dessa cidade, que a noite cala-se na escuridão.
 Liberte-se de si mesmo, voe para o paraíso, rompa barreiras, encontre pessoas prontas para voar livremente,e leva-las para o mundo magico onde todos seremos felizes com as coisas mais simples.
 Preciso apenas da minha luz me guiando e me fortalecendo, é ela que me da coragem para seguir em frente com sonhos que aqui dentro como a minha luz estão escondidos prestes a gritar para o mundo.
 Nada me segura agora, olhar o mundo com outros olhos já se tornou habito, e saiba que não deixarei você só se você não quiser, estamos nessa de mudar o interior, apenas terá que ser forte e jamais desistir, e segure minha mão, vamos deixar que nossas assas nos leve ao infinito, onde não haja limites, pois nem mesmo o céu será um obstáculos para nós.
 Deixar que emoções aflorem e minha alma se liberte do meu corpo, não é das atitudes mais adoráveis racionalmente dizendo, mais prazerosamente é  fascinante poder me lembrar que não existe limites em mim.
K.G.

sábado, 16 de outubro de 2010

Inocência

Acho que se perdeu ao tentar encontrar alguma forma correta
deixando de lado aquilo que sustentava todo edifício
moldado-o, de forma que as luzes parassem de brilhar
encontrar o caminho certo, não foi uma das decisões sabias
você sabe exatamente disso
Te vi ali sentado me olhando
não consegui acreditar completamente que eram os seus
a brilhar, ofuscando todo brilho das estrelas
chamando minha atenção
como jamais esperado
Naquele outono junto ao frio que se fazia
na noite escura, sua vontade era de puxar-me pelas
mãos finas e delicadas, e dançar a noite toda
deixando assim uma única vez seu coração comandar
suas atitudes, se tornando irracional .
Era adorável sentir o vento nos cabelos de uma noite fria
me sentia como se pudesse parar o tempo, como se existisse
apenas nós dois ali, valsando no sereno noturno.
Logo a musica que nós dois adorávamos começou a tocar
os olhos se atraíram como imas, algo inesplicavel
então continuamos nos movimentamos, não percebemos
mais já não estávamos dançando a muito tempo
simplesmente balançávamos o corpo e olhávamos nos olhos
como duas crianças de nossa época,
para nós isso era demonstração de imensa amizade.
inocência a nossa não!
Éramos vizinhos e amigos, compartilhávamos a maior parte do
tempo juntos, e fazíamos coisas que crianças faziam
sem ao menos questionarmos, quem de nós dois estávamos certos
unidos éramos apenas um e nada mais.
Era com você que me sentava no campo de flores e ficava olhando o céu
e suas nuvens, planejando que seriamos amigos até que morte
nós levasse para o longe, mantínhamos de mãos dadas, e adormecíamos
muitas vezes com os dedos entrelaçados, ali no campo de flores.
O tempo passou, vivemos muito pouco creio eu, mais o bastante para sentir
que você me fez falta no verão passado, e no outro, enfim nos dez anos que
ficamos longe.
Éramos novos, de imediato não me importei, mais como os dias se passando sua falta eu chorei.
Desde que se mudou, me mantive a mesma, mais com um vazio inesplicável e intolerável
sua companhia me fazia muito bem, as vezes sentava na varanda, onde tinha visão de sua antiga casa
e imaginava quando iria vê-lo, e pode abraça-lo e pedir que nunca mais se afastasse de mim.
Com o tempo essas vontades diminuíram, mas não sumiram, meus olhos sem que eu percebesse olhava as fotos nos porta retratos nossos no meu quarto, e as lembranças vinham.
Já não tinha mais esperanças, quando me surpreendi com o que havia acontecido
estava ali um jovem rapaz, olhando para minha direção, mostra-me um olhar inocente,
olhar que eu conhecia bem, mas que mantive minhas duvidas, mas ao abrir o sorriso
logo notei que era exatamente você, paralisada comecei a chorar desesperada e você então
notou que éramos nós novamente ali de frente um para o outro.
Nos seus braços como sempre me mantive confortável, me escondendo do mundo, como
sempre fazia, e ele como sempre me dizia doce menina aqui encontra um coração, a frase nunca
foi dita completamente, eis que aquele dia de reencontro ele me disse pela primeira vez, após dez anos
longe, onde nós nos sentimos falta, a doce frase penetrou nos meus ouvidos,
doce menina aqui encontra um coração que só parará de bater quando o seu parar,
naquele instante percebemos ali que a inocência de duas crianças  juntas
havia construído o mais nobre dos sentimentos, estes que o tempo não destroí, apenas aumenta.
E  ali ficamos dançando como fazíamos quando crianças, relembrando os velhos hábitos.

K.G